31/08/2017

Blog do Plástico - PICPlast promove programa de capacitação para transformadoras de plástico na região de Três Rios (RJ)

Com ares de cidade pacata, a região Centro-Sul do Rio de Janeiro vem acompanhando a rápida expansão do polo industrial localizado em Três Rios. O município tem nadado contra a maré da recessão econômica do país e do Estado. Desde 2008, já elevou em 59% o número de empresas ali presentes e viu sua arrecadação de ICMS saltar de R$ 76 milhões para R$ 329 milhões nos últimos sete anos. Entre as indústrias que se instalaram na região, destaca-se a de transformação de plásticos.

Ao visualizar o potencial da região e para incentivar e consolidar o mercado local, o Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast) - iniciativa da Abiplast e da Braskem - desenvolveu, em parceria com o Sebrae do Rio de Janeiro, um programa de capacitação que possibilitou o crescimento no faturamento das micro, pequenas e médias empresas deste setor que participaram do programa. No caso específico da empresa Zigmo, foi detectado um aumento de 35% no faturamento após a participação no programa.

De acordo com Andréia Lopes, coordenadora do projeto de Encadeamento Produtivo do Sebrae, empresas de pelo menos 10 municípios da região foram acompanhadas por um ano. Após um diagnóstico individual, foi elaborado um plano de trabalho baseado em quatro pilares: estratégias empresariais, gestão financeira, gestão comercial e gestão de qualidade. Além disso, durante o período foram ministradas instrutorias (aulas teóricas em grupo) e consultorias (atendimento in loco).

"O programa visa capacitar as pequenas e médias empresas, já que toda a cadeia deve estar fortalecida para que o setor concorra com mercados de outros países. Hoje em dia a concorrência é global", defende Andréia.

Uma das empresas que participaram do projeto foi a Hirundoplast, que desenvolve peças plásticas injetadas. Ao final do programa, a empresa registrou um aumento de 21,6% no faturamento por funcionário e redução de 20,1% no grau de dependência nos resultados de 2016 em comparação a 2015.

Após colocar a casa em ordem, Eduardo Schanuel, proprietário e presidente do Conselho Administrativo, quer diversificar os produtos. "Para a Hirundoplast, essa iniciativa de promover capacitações é muito boa, especialmente porque as consultorias nos ajudaram muito a desenvolver um plano de ações para a melhoria da área comercial e dos controles de qualidade. Já a estruturação de várias áreas do setor administrativo nos deu a capacidade de conquistar ótimos resultados em termos de organização. Nossa expectativa agora é de crescimento da empresa, com investimentos em novos produtos". Para este ano, com o apoio do Sebrae, a Hirundoplast desenvolverá um estudo de viabilidade mirando a expansão física da empresa.

Já a Nova A3, que produz luvas descartáveis, e a Ultrax Pack, fabricante de fitas adesivas e fios stretch, aumentaram a lucratividade do negócio e eficiência comercial, respectivamente. Rogério Lima, gerente da cadeia de suprimentos da Nova A3, conta que a consultoria possibilitou traçar um caminho para atingir os resultados que eles almejavam. "Esse curso é muito produtivo no sentido de nos auxiliar e orientar sobre o percurso, além de nos dar a oportunidade de conhecer outras empresas dentro da nossa cadeia de atuação. O programa está servindo também para abrirmos caminho para inovações, trabalhando com o mesmo maquinário e conhecimento humano para desenvolver outros produtos e segmentos", afirma.

Na Ultrax Pack, a experiência possibilitou reduzir os custos e o desenvolvimento de novos produtos. "Implementamos melhores controles de indicadores de resultados e despesas, além de controle de qualidade diferenciado e de toda nossa organização interna. A partir da instrutoria, conseguimos enxergar a importância de tratar a gestão de custos com mais afinco e severidade. Já a consultoria nos deu a oportunidade de desenvolver um novo produto que é nossa aposta de sucesso para o futuro", conta Gustavo Marques, diretor financeiro.

O programa ainda fortaleceu o networking das empresas, que muitas vezes estão fora do circuito da grande indústria e não têm acesso a informações de eventos e oportunidades de negócios.

Sobre o PICPlast: O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast) é uma iniciativa criada em 2013 pela Braskem e Abiplast, Associação Brasileira da Indústria do Plástico. O PICPlast prevê o desenvolvimento de programas estruturais que contribuam com a competitividade e o crescimento da transformação plástica. Baseado em três pilares: aumento da competitividade e inovação do setor de transformação, estímulo às exportações de transformados plásticos e promoção das vantagens do plástico, o PICPlast também conta com investimentos voltados ao reforço na qualificação profissional e na gestão empresarial.

No pilar de vantagens do plástico, as frentes de trabalho são voltadas para reciclagem, estudos técnicos, educação e comunicação, com destaque para o Movimento Plástico Transforma.

Sobre a Braskem: A Braskem tem um volume anual de produção superior a 20 milhões de toneladas, incluindo a produção de outros produtos químicos e petroquímicos básicos, e com faturamento anual de R$ 54 bilhões. A empresa atua em mais de 70 países, conta com 8 mil integrantes e opera 41 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México, esta última em parceria com a mexicana Idesa.

Sobre a Abiplast: A Associação Brasileira da Indústria do Plástico - Abiplast representa o setor de transformados plásticos desde 1967, atuando para aumentar a competitividade da indústria de transformação plástica, cujo faturamento esperado para 2017 gira em torno de 56,3 bilhões de reais. Para atingir tal objetivo, realiza ações que promovem novas tecnologias, novos processos, pesquisa de produtos com foco na sustentabilidade, entre outras. A Abiplast representa atualmente 11.559 empresas que empregam um total de 326.000 mil pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa - PICPlast