Pesquisadora da UFMG desenvolve plástico semelhante ao PVC a partir de resíduos de fritura

21/09/2021

Foto: Mauricio Vieira/Hoje em Dia

Uma pesquisa da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desenvolveu um plástico feito a partir de sobras de olho de soja que consegue retardar o escurecimento de frutas, como peras e maçãs, por até 20 dias. O material é semelhante ao filme PVC, o famoso plástico filme utilizado na cozinha, e pode se tornar uma alternativa para diminuir o desperdício, aumentando a vida útil dos alimentos.

Sob orientação das professoras Adriana Silva França e Camila Fante, a pesquisadora Andréia Handa levou seis anos - dois de mestrado e quatro de doutorado - para chegar ao produto, que possui em sua formulação antioxidantes e ácido cítrico, usado como conservante. Após a produção, a embalagem pode ser utilizada em até seis meses, tempo em que os oxidantes seguem ativos.

Veja mais no link.